Home » Cidades » Farrá com Dinheiro Público: Prefeitura de Mundo Novo paga 4 vezes mais por show sertanejo

Farrá com Dinheiro Público: Prefeitura de Mundo Novo paga 4 vezes mais por show sertanejo

A prefeitura de Mundo Novo desembolsou R$ 118 mil por um show da dupla sertaneja PH e Michel. O evento, realizado no dia 10 de junho, em comemoração ao 42º aniversário de emancipação do município, custou quatro vezes mais que a média de R$ 30 mil paga por outras prefeituras do interior de Goiás pela apresentação dos músicos um mês atrás.

O evento também contou com show da dupla Dyogo e Deluca, que se apresentaram no dia 11 de junho e receberam R$ 45 mil. Somados, os valores pagos para as duas duplas equivalem a 62% da previsão orçamentária anual para a Secretaria de Eventos e Turismo, que foi de onde saiu o dinheiro para o pagamento das apresentações artísticas.

A Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2022 de Mundo Novo prevê que a secretaria em questão use até R$ 262 mil para eventos. Só com os shows, já se foi mais da metade. O município possui 4.540 habitantes, segundo o dado de 2021 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Mundo Novo também tem baixa transparência quanto aos gastos no portal da prefeitura. Em abril, um acórdão do Tribunal dos Municípios de Goiás (TCM-GO) manifestou pela irregularidade no cumprimento das normas de transparência da gestão fiscal, determinadas pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). No site, por exemplo, o último Relatório Resumido de Execução Orçamentária (RREO) é do segundo bimestre de 2021.

Shows

Ainda assim, foram contratados os shows para o aniversário da cidade. Chamou a atenção o fato de que a atração principal, a dupla PH e Michel cobraram quatro vezes mais do que shows realizados em época recente em outros municípios.

Em Doverlândia, por exemplo, onde se apresentaram no dia 12 de maio, menos de um mês antes, a dupla recebeu R$ 30 mil de cachê. O mesmo valor foi cobrado pela dupla, da prefeitura de Adelândia, para a apresentação realizada em 30 de abril. Já em 13 de maio, foi a vez de Arenópolis receber os cantores, que cobraram R$ 38 mil.

O contrato entre a dupla e a prefeitura de Mundo Novo, celebrado com inexigibilidade de licitação, tinha como objeto a realização do show no dia 10 de junho, com duração de 1h40.

Além do cachê, ficaram por conta da contratante, ou seja, do município, as despesas com hospedagem e alimentação dos artistas. O pagamento dos R$ 118 mil ficou dividido em duas vezes de R$ 59 mil.

Também ficaram sob responsabilidade da Prefeitura o fornecimento da estrutura de palco, som e iluminação, os custos, diretos e indiretos, com a preparação do espetáculo, como os referentes a direitos autorais.

O hotel onde se hospedaram, pago com recurso do município, foi escolhido de acordo com lista enviada pelos cantores. Ainda foi oferecido veículo para o translado da equipe dos músicos.

As passagens aéreas ou rodoviárias dos cantores e sua equipe ficaram por conta dos artistas. Os shows da dupla são contratados por meio da empresa Nova História Produções e Eventos. O POPULAR conversou com Júnior Souza, responsável pela agenda dos músicos, que justificou que esse valor mais alto serviu para custear a despesa com passagens porque, segundo ele, a dupla estava no Paraná antes de seguir para a apresentação no município goiano.

Ele ainda justifica que os outros shows que saíram com um preço mais baixo estavam com a tabela do ano passado, da dupla. “Depende da localidade que o artista está para chegar à cidade. Não é só o valor do show”, disse. Segundo Souza, a equipe é formada por cerca de 20 pessoas, que demandam um custo alto com passagens aéreas.

Souza também é o responsável pela agenda de Dyogo e Deluca. Segundo ele, o preço varia de acordo com o momento do artista, além da época do ano. “Esse mês de junho e julho são de São João, então demandam mais shows no ano. Os valores acabam sendo maiores porque tem mais demanda”, explica.

Prefeitura

A reportagem entrou em contato com a secretária de Eventos e Turismo de Mundo Novo, Josilene Gonçalves Souto, que indicou Marcos Delabona, responsável pelas licitações e contratos da prefeitura, para falar.

O servidor colocou principalmente na conta do mês o motivo para pagarem um preço mais alto pelo show. “A dupla PH e Michel teve uma relevância de dois a três meses para cá, porque eles tiveram um aumento de audiência. E o mês de junho é o mês que tem mais festa no estado de Goiás”, disse.

Quanto ao impacto do gasto com os shows no orçamento municipal, Delabona afirmou que a previsão orçamentária para a secretaria específica não limita as despesas, já que podem ser realizadas suplementações. “Eu posso tirar de um determinado orçamento e mandar para a Secretaria de Eventos para suprir a necessidade delas, como posso tirar delas para suprir a necessidade de outra secretaria”, justificou.

Fonte: O Popular

Foto: Divulgação

Sobre Osvando Teixeira

Veja isto também

ENEL DISTRIBUIÇÃO GOIÁS DÁ DICAS DE ECONOMIA DE ENERGIA NOS DIAS FRIOS

Uso consciente do chuveiro elétrico pode resultar em uma economia de até 30% no mês; ...

Gustavo Mendanha e Daniel Vilela aparecem juntos pela primeira vez desde “rompimento”

O evento também contou com a presença do prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos) Gustavo ...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.